Sou curioso

Ola, para você que acaba de entrar no meu blog se divirta e aprenda diversas coisa com meu blog.

Pesquise no meu blog

Carregando...

terça-feira, 10 de julho de 2012

Arco Íris


Arco-íris - De Arco + Mitologia Iris (a mensageira da deusa Juno, que vinha do Céu caminhando por este Arco) (Dicionário Aurélio)

Singular
Arco-celeste, arco-da-aliança, arco-da-chuva, arco-de-deus, arco-da-velha (velha lei), arco-íris; Plural: arcos celestes, arcos da aliança, arcos da chuva, arca de deus, arcos da velha. arcos-íris.

O Arco-íris é um dos maiores espetáculos de cores e luzes da Terra.

Um arco de sete cores
Que vai do vermelho ao roxo, passando pelo laranja, amarelo, verde, azul e azul marinho - com todas as suas nuanças e gradações.

O Arco-íris é mencionado por diversas vezes na Bíblia, inclusive no episódio do Dilúvio, quando o Criador assumiu o compromisso de não mais extinguir a humanidade, colocando no Céu, como testemunho desta decisão, um Arco-Iris

O tradicional Arco-íris é na verdade a luz do sol alargada pelo espectro de cores, desviadas para o olho do observador por gotinhas de água, mais especificamente, gotinhas de chuva. O Arco que aparece é apenas metade do círculo que tem um centro comum, mas não é todo visível.

ONDE ESTÁ O SOL QUANDO VOCÊ VÊ O ARCO-ÍRIS?
Esta é uma boa questão para começar a pensar a respeito do processo físico que dá origem ao arco-íris. A maioria das pessoas jamais notou que o sol está sempre atrás delas quando vêem um arco-íris e que o centro do arco circular está na direção oposta do sol. A chuva, naturalmente, está entre o observador e o arco-íris,

COMO SE FORMA O ARCO-ÍRIS?
Para dar esta resposta será necessário lembrar alguns princípios da Fïsica, particularmente da Luz. Trata-se de um problema de Óptica, claramente examinado e provado por René Descartes, o mesmo que idealizou o fantástico experimento de separação da luz do sol ( luz branca ) em sete diferentes cores, através do prisma.

(Esta é uma experiência fácil de se realizar. Peça informações ao seu professor de Fïsica.)

Descartes simplificou o estudo do Arco-íris através do estudo de uma Gota Dágua e de como ela reage a um raio de luz.

Descartes descreve como colocou uma grande esfera, simulando uma grande gota de água, na luz do sol, observando como ela se refletia, o que pode ser comprovado pelo desenho de uma única gota de água.

Ele escreveu: "Eu peguei uma caneta e fiz um cálculo acurado do conjunto de raios que incidiam em diferentes pontos do globo de água, para determinar em que ângulos, depois de duas refrações e uma ou duas reflexões eles chegarão ao olho, e então encontrei que após uma reflexão e duas refrações há muito maior número de raios que podem ser vistos em um ângulo de quarenta e um até quarenta e dois graus, do que em qualquer outro ângulo menor, e de que não há nenhum que possa ser visto em um ângulo maior ´.

É esta concentração de raios perto do menor desvio que dá origem ao arco do Arco-íris. Este raio é denominado de Raio Descartes ou do Arco-íris. Em outras palavras, o Arco-íris se forma exclusivamente entre os ângulos de 40 a 42 graus, em relação do observador aos raios de sol. Em qualquer outro ângulo ele não pode ser observado.

Acontece, entretanto, que quando chove, milhões de gotas caindo, dão origem à formação de arco-íris em diferentes porções do céu, fazendo com que o ângulo não precise ser tão exato assim.

Uma gota de chuva típica é esférica e portanto seu efeito sobre a luz do sol é simétrica ao redor de um eixo através do centro da gota e o caminho da luz ( neste caso o sol ) . Ao pôr do sol o Arco-íris apresenta o maior arco; só não é visto um círculo completo porque o horizonte da terra o impede; quanto mais alto o sol, durante o Arco-íris, menor será o semi-círculo formado.

Deve-se considerar, ainda, que as gotas de chuva possuem vários formatos ao cair, em razão da resistência do ar ou dos ventos. Só as gotas redondas e de preferência menores ( como ao final das chuvas ) são as melhores para produzir o Arco-íris. Deve-se ainda recordar que, em face da distância do sol, todos os raios que incidem numa gota de chuva podem ser consideradas paralelos.

COMO SE FORMAM AS CORES DO ARCO-ÍRIS?
Renée Descartes já tinha feito a sensacional experiência de decomposição do luz branca do sol, através do prisma, decompondo em sete cores - o vermelho, o laranja, o amarelo, o verde, o azul, o azul marinho (indigo) e o violeta (lilás ou roxo). É uma experiência que vale a pena ser feita, utilizando um raio de sol, num quarto escuro. Vamos tentar ? ou solicitar a colaboração do professor de Ciências ?

A tradicional descrição do Arco-íris é a de que ele é feito de sete cores - vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, azul marinho ( índigo ) e violeta. Na verdade o Arco-íris é um continuum de cores, do verde ao violeta, e até mesmo além das cores que os olhos conseguem enxergar, como se dá com o espectro infra-vermelho (percebido pelo calor) e ultra-violeta, não observável a olho nu.

As cores do Arco-íris originam-se de dois fatos básicos:

1. A luz do sol é composta de um conjunto de cores que o olho consegue detectar. O conjunto dessas cores, quando combinadas, parece branca ao olho humano, conforme foi demonstrado por Sir Isaac Newton em 1666.

2. A luz das diferentes cores são refratadas de maneira diferentes, quando passam de um meio (ar, por exemplo) para outro ( água, vidro, por exemplo ).

Assim, foi determinado como o raio de luz é curvado, refratado, quando atravessa regiões de diferentes densidades, como o ar e a água. Quando um raio de luz atravessa uma gota de chuva é desviado para a luz vermelha e azul, verifica-se que o ângulo de desvio é diferente para as duas cores porque a luz azul é curvada ou refratada mais que a luz vermelha.

Isto significa que quando vemos o Arco-íris e sua banda de cores nós estamos olhando a luz refratada e refletida de diferentes gotas de chuva, algumas vistas em um ângulo de 42­o graus; algumas a um ângulo de 40o­ graus, e algumas entre ambos.

O DUPLO ARCO-ÍRIS
Muitas vezes os raios de luz, além de refletir e refratar uma única vez - dando origem ao Arco-íris primário, reflete e refrata mais vezes, saindo das gotícolas de chuva em diferentes ângulos de 50 ou 53 graus, dando origem a um segundo arco-íris, com cores mais fracas. É comum que este arco-íris secundário tenha as cores ao contrário do primário.

A PUREZA DAS CORES
A "pureza" das cores do arco-íris depende do tamanho das gotas de chuva; gotas grandes - diâmetro de poucos milímetros - dão origem a cores brilhantes e bem definidas; gotas pequenas - diâmetro ao redor de O,001 mm - produzem cores superpostas, perto do branco.

Isto considerando que as gotas são sempre esféricas, o que nem sempre acontece, pois nunca há um simples e mesmo tamanho das gotas, mas uma mistura de diferentes tamanhos e formatos, dependendo dos ventos, da resistência do ar ao cair ou do choque com outras gotas, resultando daí um arco-íris composto; de qualquer forma há um tamanho e formato ideal para sua reprodução.

O ARCO-ÍRIS E OS ÓCULOS DE SOL
Os óculos escuros de sol poderão dar uma aparência diferente ao Arco-íris, especialmente se forem polarizados; se virados, poderão fazer o arco-íris desaparecer.

QUAL A DISTÂNCIA DO ARCO-ÍRIS?
Ele parece longe ou perto, dependendo da distância das gotas de chuva.

A LUA PODE PROVOCAR UM ARCO-ÍRIS?
Sim. Um marinheiro descreve em palavras de grande beleza e romantismo a observação de um arco-íris em alto mar, com uma lua cheia maravilhosa.

O ARCO-ÍRIS REFLETIDO
É possível, às vezes, que além das luz direta do sol, haja a luz do sol refletida no mar, numa lagoa ou outro objeto brilhante, dando origem, assim, a um outro Arco, superposto em ângulo diferente do primeiro.

Fonte: www.ifi.unicamp.br

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Por que os castores constroem represas?

As represas feitas pelos castores são levantadas para proteger a casa desse simpático mamífero. Dotado de membranas nas patas traseiras e uma achatada e larga cauda que serve de leme e remo, o castor constrói seu lar no meio dos rios (apesar de também fazê-lo nas margens). A casa é feita de pedaços de madeira, pedras e lama e forma um monte oco em forma de cone com entradas submersas. Apesar de proteger os bichinhos do frio do inverno e de animais predadores, a toca sofre o risco de ser inundada quando o nível da água sobe ou de ficar desprotegida contra inimigos em períodos de seca, e é aí que entram as represas. Para manter a água (e o pé direito da casa) no mesmo lugar, os castores levantam as barreiras, pois elas seguram a água numa altura mínima e, caso chova muito e o nível do rio suba, basta abrir buraquinhos na represa, como se fossem comportas de um dique, para que a altura volte ao normal.


quarta-feira, 4 de julho de 2012

Casas longe de tudo e de todos

housebannnnner

Algumas pessoas não gostam do agito e estresse da cidade grande. Ou não se dão muito bem com outros seres humanos. Mas as fotos que você vai ver são casos extremos: casas no meio do nada, longe de tudo e de todos. Esses locais não têm nenhuma facilidade tecnológica como comunicação e transporte. É até difícil acreditar que alguém more nessas belas e remotas residências. Se alguém sofrer um acidente em alguma dessas casas, certamente vai ter que atravessar o oceano ou subir algumas montanhas para chegar a um hospital. Você teria coragem de morar em um lugar assim?

NA ISLÂNDIA

Vestmannaeyjar é um pequeno arquipélago no Sul da Islândia. Em uma das ilhas, alguém construiu uma casa, longe de tudo e de todos. Pra falar a verdade, há ocasiões em que a gente sente vontade de morar num lugar assim, não é mesmo?

NA ITÁLIA

Esta está longe da Terra, mas pertinho do céu. O Rifugio Lagazuoi, na Itália, é uma pousada paradisíaca para quem quer (e, sobretudo, para quem pode) descansar em grande estilo. Lá, os visitantes dispõem de luxuosas acomodações privadas, um animado bar e restaurante internacional, além de uma incrível visão das montanhas que cercam a região. Por que você não faz já uma reserva para as suas próximas férias?

NO CANADÁ

Essa solitária residência fica no Rio São Lourenço, que corre pela América do Norte. Aliás, ilhas particulares com apenas uma casa como essa são comuns no país. Gente fina é outra coisa…

NOS ESTADOS UNIDOS

O Boldt Castle é um castelo construído na Heart Island (Ilha do Coração), nos Estados Unidos. O milionário George C. Boldt construiu o castelo, no início do século XX, como forma de mostrar seu amor a sua esposa. Atualmente, acontecem eventos e casamentos no local. Se é verdade que amor se prova com dinheiro, sem dúvida, esse é um grande amor, não é mesmo?

OUTRA NOS ESTADOS UNIDOS

Esse é o Katskhi Pillar, que fica localizado na Geórgia (EUA). A aura mística da construção que fica a 40 metros do chão a tornou em um local de culto. A torre é habitada por um monge, que vive nela há quase 20 anos. Lugar estranho para construir uma igreja, não? Mas, atenção, se você é mulher não poderá visitar o Katskhi Pillar, porque menina não entra. Um Clube do Bolinha esotérico. Mas… por que será que o tal monge tem medo de mulher?

NA SUÍÇA

Essa construção meio torta fica no Monte Rosa, na Suíça. Diversas empresas se uniram para construir essa casa no meio das montanhas. A construção é um modelo de eficiência energética e economia de recursos. É um edifício amigo do meio-ambiente. Feita de aço inoxidável, alumínio e madeira, 90% das necessidades energéticas da casa são supridas através de energia solar. Mas, por que tinha que ser torta?

NA SUÉCIA

Essa casa simpática fica numa ilha na Suécia. Com 137 metros quadrados, a construção inclui uma ampla sala de estar, um quarto para hóspedes e tem até uma sauna. As portas de vidro, que permitem uma ampla visão da paisagem ao redor, tornam o lugar ainda mais belo e diferente. É claro que o dono da casa é também dono da ilha.

NA GRÉCIA

O Holy Trinity Monastery (Mosteiro da Santa Trindade) foi construído em 1476 e fica na Grécia. O mosteiro fica a 400 metros do chão. Antigamente, os monges tinham que subir por uma escada de corda para chegar ao local. Hoje está mais fácil visitar a construção, subindo os 140 degraus feitos nas pedras. Passeio não recomendado para quem tem medo de altura. Do que será que os monges estão fugindo?

NA ITÁLIA

Se você for visitar a Itália, talvez veja essa casa, bem no meio de um penhasco. Ela foi construída há quase 700 anos atrás, em 1319. Não temos a informação sobre quem mora lá. Mas, com certeza, não se trata de alguém muito sociável.

NA FRANÇA

O Refuge des Cosmiques, localizado na França, é um ótimo lugar para esquiadores e alpinistas descansarem. Só é um pouquinho difícil chegar lá.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Reflexologia Podal: a Massagem nos Pés

A massagem nos pés é ideal para auxiliar no relaxamento e diminuição do stress. Os pontos reflexos nos pés correspondem a cada órgão, estrutura do corpo e glândula.

É chamada de Reflexologia Podal e consiste no tratamento por meio de pontos de pressão realizada por outra pessoa que tem os conhecimentos da técnica dos pontos reflexos. Este método é conhecido na Índia e na China há mais de 5000 anos.

Mas você mesmo pode massagear seus pés, aproveitando os benefícios de bem estar e relaxamento. É interessante realizar diariamente as massagens nos pés: massageie todos os locais, o dorso, a planta e os dedos dos pés.

Para você ter uma visualização melhor a figura abaixo ilustra os pontos reflexos e a área correspondente relacionada a cada órgão.